20/07/2011

IRREDENTOS

Rasgam o ar de todos os dias e, como fungos, emergem, do
inferno, corpos répteis que abrem e fecham, a vida e a morte.
Por vezes, não há alquimia, nem saber, nem amor, apenas um
patíbulo. Por vezes,  não há prólogo possível à nossa história.
Somente a sombra do tempo se passeia.

Mário Rui de Oliveira

O VENTO DA NOITE, Assírio & Alvim, Março de 2002

17/07/2011

AS VACAS TRESMALHADAS

As vacas tresmalhadas pelo asfalto
da cidade, fazem fugir quem passa.
Amarelo... Vermelho! Um atravessa.
É apanhada, seco, dá um salto,

desentranha um mugido e, abatida,
põe nos olhos mansíssimos a vida.
Que pascigo escolheste, amável bicho?
Se não fora o olhar, já eras lixo.

Vaca malhada tresmalhada, vaca
de leite em sangue, atormentado nó
pulsando no asfalto, agora saca
dos missérrimos bofes o seu muuuu

derradeiro. Já sem dor ou protesto,
é da cidade a vaca mais um resto.

Alexandre O'Neill

POESIAS COMPLETAS, Assírio & Alvim, Lisboa, Maio de 2007

12/07/2011

[Depois há uns tipos simpáticos]

Depois há uns tipos simpáticos
que se põem assim como que de lado,
hieroglificamente a assistir
ao espectáculo do espectáculo

dos sacrifícios, e bolsam com a bolsa
cheia de conjecturas e trans-
versalidades para a benemerência
do raquítico pensamento nacional.

Paulo da Costa Domingos

AVERBAMENTO, & etc, 2011

06/07/2011

SALDO DO DIA

Saldo do dia, o poema:
o deve e o haver, o peso, o custo
e tudo o mais que não fica na memória.

É no meio da noite
e dos improváveis sonhos.

Luís Filipe Castro Mendes

Lendas da Índia, Publicações Dom Quixote, Lisboa, Junho de 2011

02/07/2011

ROLETA RUSSA

Não quero lamentar-me nem celebrar a vida;
desconheço ainda quem é quem desta vez.
Posso esperar tranquilo com a frágil paciência
daquele que, passadas as primeiras horas da insónia,
diz a si mesmo que não importa dormir três horas ou nenhuma,
não faz diferença
(penso com a tranquilidade daquele que espera a bala).

Mariano Peyrou

O DISCURSO OPCIONAL OBRIGATÓRIO, Tradução de Manuel de Freitas, Prefácio de José Ángel Cilleruelo, Averno, Novembro de 2009