06/07/2011

SALDO DO DIA

Saldo do dia, o poema:
o deve e o haver, o peso, o custo
e tudo o mais que não fica na memória.

É no meio da noite
e dos improváveis sonhos.

Luís Filipe Castro Mendes

Lendas da Índia, Publicações Dom Quixote, Lisboa, Junho de 2011

Sem comentários:

Enviar um comentário