08/04/2009

RENÚNCIA

Renuncio ao prêmio e retorno ao jogo
iniciado no entardecer. A correta hora
das despedidas não enseja glórias.
Imerecidas honras decompostas
em fases percorridas na necessidade
de estar vivo enquanto o tempo
repete seus ponteiros e o cansaço
torna o corpo descompassada
luta na ilusão da sobrevivência


o andamento desacelerado em declarações
de razões impostas em restrições contidas
nas dores sentidas pelo corpo físico


anterior ao prêmio houve a aposta
e ganhar ou perder se mostrou igual
em virtudes e talentos: aos olhos amigos
restam lembranças condoídas de horas
passadas em significações e retratos.


Pedro Du Bois


em A HORA SUSPENSA

Sem comentários:

Enviar um comentário