15/11/2010

Manoel de Barros - "Anti-salmo por um desherói"

a boca na pedra o levara a cacto
a praça o relvava de passarinhos cantando
ele tinha o dom da árvore
ele assumia o peixe em sua solidão

seu amor o levara a pedra
estava estropiado de árvore e sol
estropiado até a pedra
até o canto
estropiado no seu melhor azul
procurava-se na palavra rebotalho
por cima do lábio era só lenda
comia o ínfimo com farinha
o chão viçava no olho
cada pássaro governava sua árvore

Deus ordenara nele a borra
o rosto e os livros com erva
andorinhas enferrujadas

Manoel de Barros

GRAMÁTICA EXPOSITIVA DO CHÃO, Editora Record, Rio de Janeiro * S. Paulo, 1999

Sem comentários:

Enviar um comentário