01/12/2011

O ROMEIRO, D. JOÃO DE PORTUGAL

Regresso enfim,  de barba branca,
mirrado de piça e veleidades,
olho pisco, pêlo raro, perna manca,
em busca de que sal, de que saudades

que se manduquem em aberta mesa.
Vejo contudo que em má altura
cheguei à vela que esperava acesa
e não encontro, inexistente e escura.

Afinal onde estou, já que sem nome
o vento me levou a condição?
Não terei terra branda que me tome

e me leve aos infernos pela mão,
pois uma só pergunta me consome:
se não nasci porquê morrer então?

Pedro Tamen

Analogia e Dedos, Oceanos, Asa Editores, Outubro de 2006

Sem comentários:

Enviar um comentário