09/10/2010

O MORCEGO

O morcego é pardo com asas pregueadas
como algo posto de lado,
nem uma canção perpassa nos seus lábios,
ou algo perceptível.

O seu pequeno chapéu bizarramente fendido
descreve no ar
um arco de certo modo inescrutável -
enlevado filósofo!

Delegado de que firmamento
de que astuta residência,
empossado com que malevolência,
auspiciosamente retirado.

Ao seu destro criador
imputa não menos louvor;
beneficente podes acreditar
o seu excêntrico ar.

Emily Dickinson

(trad. Jorge Sousa Braga)

ANIMAL ANIMAL um bestiário poético, organização de Jorge Sousa Braga, Assírio & Alvim, Fevereiro 2005

Sem comentários:

Enviar um comentário