25/03/2010

PARABÉNS

Neste Fevereiro distante
a alegria poisa devagar

não me quero lembrar de nada
entrego as botas e um a um
entramos no grande centro cultural

o último poeta foi atropelado em Braga
morreu no hospital público
com direito a névoa pela manhã

oh o barulho da responsabilidade
a expansão do deserto ao primeiro toque
começa-se por dormir vestido
e depois o pasmo
o risco de vender um verso por desfastio

João Almeida

GLÓRIA E ETERNIDADE, Edição Teatro de Vila Real, Abril de 2009

Sem comentários:

Enviar um comentário