28.7.16

Sansão e Dalila

Fosse eu ministra, a sanção
não seria aplicada,
disse a Dalila ao Sansão
e o Sansão não disse nada.
Esperou, olhou pra ela,
para a Dalila dum jeito,
como se fosse a cadela
que lhe ferrasse no peito
os cabelos para dar
ao inimigo que andava
por ali a ameaçar
com a sanção que apurava.
Mas como não há sanção,
a Dalila está tão, tão...

Domingos da Mota

[inédito]

Sem comentários:

Enviar um comentário