24.1.16

Salvo erro

Nunca errou. E, salvo erro,
o seu engano maior,
com laivos de desespero,
de presunção ou pior,
tem a ver com a certeza
absoluta de si,
com a arrogante leveza
para dizer o que ouvi.
Se alguém julga o seu umbigo
o centro do universo,
o erro não está consigo,
mas distante e tão disperso
que também me cabe a mim,
salvo erro, porque sim.

Domingos da Mota

[inédito]

Sem comentários:

Enviar um comentário